Simpósio realizado em Rondonópolis debateu Ética, Fé e Reforma da Previdência

Orientados pelas palavras de Dom Juventino Kestering, bispo Diocesano de Rondonópolis, os participantes do Simpósio sobre Ética Cristã, Políticas Públicas e Reforma de Previdência, ocorrido no ultimo dia 11 de junho,  tiveram a oportunidade de compreender as exigências  que a fé em Jesus leva a agir sobre as questões que desafiam a fraternidade, a pratica da justiça e da verdade nos dias atuais.  Recordando as orientações da Doutrina Social da Igreja, lembrou o bispo que “não se pode colocar o lucro e a economia acima das pessoas” e que é necessário que os cristãos se informem e estejam atentos as decisões politicas que afetam a vida da sociedade, especialmente dos mais pobres.

AAAAA111111

Com o auditório da escola Sagrado repleto de lideranças religiosas, alguns sacerdotes e representantes de diversas entidades da sociedade civil como a OAB, UFMT, Sindicatos de Professores, dentre outras, os advogados Dra. Viviani Mantovani Berrtoni e Dr. Danilo Ikeda detalharam as mudanças que a Proposta de Emenda Constitucional n. 006/2019, que trata da reforma da previdência, trará para a população. Apresentando series estatísticas, dados comparativos e diversos artigos da referida PEC, os peritos mostraram as consequências e perdas, especialmente para os mais pobres que, a referida PEC traz. Há um sério risco de desconstitucionalização de direitos sociais básicos, se a proposta for aprovada tal como está.

Para Prof. Dr. Adilson Jose Francisco, um dos organizadores do evento, é necessário que toda sociedade conheça e discuta esta temática tão séria e que afeta a vida de toda população. A Conferencia Episcopal dos Bispos do Brasil já se manifestou oficialmente sobre os perigos de se transferir da Constituição para leis complementares regras previdenciárias e que o discurso de que  a reforma vai cortar privilégios, precisa deixar claro quais são esses privilégios, quem os possui e qual a cota de sacrifício dos privilegiados, bem como a forma de combater a sonegação e de cobrar dos devedores da Previdência, relembrou Prof. Adilson.

Para Márcia Casali, o evento alcançou seus objetos num clima de tranquilidade e qualidade das informações, “ podemos compreender melhor os diversos aspectos desta PEC. É preciso que o povo esteja atento e procure se informar e participar mais deste momento tão importante da nação”. Para Marcia Casali,  é papel também da igreja, dos leigos e leigas refletirem e atuar sobre as políticas públicas  para que elas atendam ao bem comum e não apenas aos interesses de alguns. Isto é o que ensinou Jesus e é isto que trata a Doutrina Social da igreja, afirmou a assistente social, participante do Simpósio.

Da Redação do MancheteMT. Informações da assessoria do evento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *