MT ganha reforço no combate ao racismo

 

Plenário do Senado Federal durante sessão não deliberativa extraordinária. nnÀ tribuna, em discurso, senador Wellington Fagundes (PR-MT).nnFoto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Plenário do Senado Federal durante sessão não deliberativa extraordinária. nnÀ tribuna, em discurso, senador Wellington Fagundes (PR-MT).nnFoto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Quatro municípios de Mato Grosso estão recebendo reforço nos programas de enfrentamento ao racismo e promoção da igualdade racial. Emenda do senador Wellington Fagundes vai possibilitar a aquisição de equipamentos: Rondonópolis, Cuiabá, Vila Bela da Santíssima Trindade e Juína.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostram que Mato Grosso está entre os estados com maior população de afrodescendentes. Com 60% da população negra, Mato Grosso supera a média nacional. Dados do Censo de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que, dos 3.035.122 mato-grossenses, 1.820.597 se autodeclararam pretos e pardos. Em todo o país, o percentual de negros, somando pretos e pardos, é de 51%.

“É dever do Estado coibir o tratamento diferenciado e implementar medidas que atenuem ou eliminem as desigualdades”, diz ele.

Mato Grosso apresenta um aumento alarmante relacionado ao índice de crimes por intolerância – prática de preconceito ou injúria. Em 2018, o número de ocorrências aumentou em quase 20% quando comparado aos quatro primeiros meses de 2017.

Segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), no primeiro quadrimestre de 2017 foram registradas ao todo 176 ocorrências, enquanto que em 2018, o número subiu para 207 casos.

Ainda em 2017, foram registradas 145 ocorrências de injúria e 31 de prática ou incitação à discriminação ou preconceito. No ano passado, foram 172 por injúria e 35 casos de prática ou incitação à discriminação ou preconceito.

Os recursos serão aplicados na compra de impressoras, computadores, veículos e outros equipamentos.

Informações : assessoria Senador Wellington Fagundes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *